Sites úteis

 

EFFICHRONIC:

Este projeto olha para os determinantes sociais da saúde como parte da estratégia de recrutamento e envolvimento dos indivíduos.

Saiba mais aqui

GENIE:

O GENIE é um site para conectar pessoas com condições de longo prazo às atividades locais de saúde e bem-estar.

Saiba mais aqui

O Abrigo de Literacia em Saúde:

Encontre a ferramenta de medição de literacia em saúde certa para a sua pesquisa no Health Literacy Tool Shed: Uma base de dados de medidas de literacia em saúde.

Saiba mais aqui

O Kit de Ferramentas da Dor:

A auto-gestão da dor é a sua primeira escolha, ou último recurso?
O Pain Toolkit ajuda as pessoas em todo o mundo a gerir a dor persistente.

Saiba mais aqui

Universidade do Paciente:

Oferecemos palestras de especialistas e oportunidade para conversas com profissionais. Estações de aprendizagem com informação útil sobre manutenção da saúde, diagnósticos e terapia para doenças, direitos do paciente e opções de apoio.

Saiba mais aqui

Autocuidado e Auto-Gestão

 

  • Apoio Positivo Beahvioural – Competências para a Saúde: Leia Aqui

  • Ajudas de decisão partilhadas – FutureLearn
    : Leia aqui
  • Personalização; Introdução – SCIE: Ler aqui

  • Apoio ao Autocuidado – E-LfH; AMRC; RCP: Ler aqui

  • Planeamento personalizado de cuidados – Competências para a Saúde: Leia aqui

  • Peer Supported Self Management – The Lancet: Read Here

  • A relação entre o conhecimento dos valores recentes do HbA1c e a compreensão dos cuidados com a diabetes e a auto-gestão: Leia aqui
  • Otimização do envolvimento do paciente e da família nos cuidados domiciliários geriátricos: Leia aqui

  • Utilização da Avaliação do Doente dos Cuidados de Doença Crónica (PACIC) com Doentes Diabéticos: Leia Aqui

  • Apoio à Auto-Gestão em doentes com doenças crónicas: Leia Aqui

  • Gestão de Cuidados Crónicos em um lar de doentes: Leia Aqui

  • Barlow, J., Wright, C., Sheasby, J., Turner, A., & Hainsworth, J. (2002). Abordagens de auto-gestão para pessoas com doenças crónicas: uma revisão. Paciente Educ Couns, 48(2), 177-187. Leia aqui
  • Bodenheimer, T., K. Lorig, et al. (2002). “Auto-gestão do paciente de doença crónica nos cuidados primários.” Jama 288(19): 2469-75. Leia aqui
  • Bodenheimer, T., K. MacGregor, et al. (2005). Ajudar os pacientes a gerir as suas condições crónicas, CaliforniaHealth Care Foundation: 1-25.
    Leia aqui
  • Centro para o Avanço da Saúde (CFAH). (2002). Elementos Essenciais de Intervenções de Auto-Gestão (n.º 8035): Centro para o Avanço da Saúde; Financiado pela Fundação Robert Wood Johnson.
  • Chodosh, J., Morton, S.C., Mojica, W., Maglione, M., Suttorp, M. J., Hilton, L., et al. (2005). Meta-análise: programas de auto-gestão de doenças crónicas para idosos. Ann Intern Med, 143(6), 427-438. Leia aqui
  • Fisher, E.B., C.A. Brownson, etc. (2005). “Abordagens Ecológicas para a Auto-Gestão: O Caso da Diabetes.” American Journal of Public Health 95: 1523-1535. Leia aqui
  • Funnell, M.M., & Anderson, R.M. (2002). Trabalhando para a próxima geração de educação de auto-gestão da diabetes. Sou J Prev Med, 22(4 Suppl), 3-5. Leia aqui
  • Funnell, M.M., Brown, T.L., Childs, B.P., Haas, L.B., Hosey, G.M., Jensen, B., et al. (2007). Normas Nacionais para a Educação para a Auto-Gestão da Diabetes. Cuidados diabetes 10.2337/dc07-9923, 30(6), 1630-1637. Leia aqui
  • Glasgow, R.E., Funnell, M.M., Bonomi, A.E., Davis, C., Beckham, V., & Wagner, E. H. (2002). Aspetos de auto-gestão da série de descoberta de cuidados com doenças crónicas: implementação com equipas de diabetes e insuficiência cardíaca. Ann Behav Med, 24(2), 80-87.
  • Glasgow, R.E., C. L. Davis, et al. (2003). “Implementar intervenções práticas de apoio à auto-gestão da doença crónica.” Jt Comm J Qual Saf 29(11): 563-74.
  • Goldstein, M. G. (2002). Promoção da Auto-gestão em Definições de Cuidados Primários: Limitações e Oportunidades: Um Comentário. Em R. Williams & W. Herman & A.-L. Kinmonth & N. J. Wareham (Eds.), A Base de Evidências para os Cuidados com Diabetes (pp. 701-710). West Sussex, Inglaterra: John Wiley and Sons, LTD. Read Here

  • Lorig, K.R., & Holman, H. R. (2003). Educação de auto-gestão: história, definição, resultados e mecanismos. Ann Behav Med, 26(1), 1-7. Leia aqui
  • Lorig, K.R., Mazonson, P.D., & Holman, H. R. (1993). Evidências que sugerem que a educação para a auto-gestão em doentes com artrite crónica tem benefícios sustentados para a saúde, reduzindo os custos dos cuidados de saúde. Reum da artrite, 36(4), 439-446 Ler aqui

  • L., Engelgau, M.M., & Narayan, K.M. V. (2001). Eficácia da Formação em Auto-Gestão em Diabetes Tipo2: Uma revisão sistemática de ensaios controlados aleatórios. Cuidados com diabetes, 24(3), 561-587. Leia aqui
  • Osborne, R.H., Wilson, T., Lorig, K.R., & McColl, G. J. (2007). A auto-gestão conduz a benefícios sustentáveis para a saúde em pessoas com artrite? Um estudo de transição de 2 anos de 452 australianos. J Reumatol, 34(5), 1112- 1117. Leia aqui

A consulta médico-paciente

 

  • Duas palavras para melhorar a comunicação médico-paciente: O que mais? Leia aqui

  • Empatia: Leia aqui

  • Princípios Básicos e Expectativas: Leia aqui

  • Relações entre o estilo de prática médica, a satisfação do paciente e os atributos dos cuidados primários: Leia Aqui

  • DiMatteo, M.R., Reiter, R.C., & Gambone, J.C. (1994). Melhorar a adesão à medicamentação através da comunicação e da escolha colaborativa informada. Comunicação de Saúde, 6(4), 253-265.
  • Funnell, M.M., Anderson, R.M., Arnold, M.S., Barr, P.A., Donnelly, M., Johnson, P.D., Taylor-Moon, D., & White, N. H. (1991). Capacitação: uma ideia cujo tempo chegou na educação para a diabetes. Diabetes Educ, 17(1), 37-41. Leia aqui
  • Heisler, M., Bouknight, R.R., Hayward, R.A., Smith, D.M., & Kerr, E. A. (2002). A importância relativa da comunicação médica, tomada de decisão participativa e compreensão do paciente na auto-gestão da diabetes. J Gen Intern Med, 17(4), 243-252. Leia aqui
  • Heisler, M., Vijan, S., Anderson, R.M., Ubel, P.A., Bernstein, S.J., & Hofer, T. P. (2003). Quando é que os pacientes e os seus médicos concordam com os objetivos e estratégias do tratamento da diabetes, e que diferença faz? J Gen Intern Med, 18(11), 893-902. Leia aqui
  • Kaplan, S., Greenfield, S., & Ware, J. (1989). Avaliação dos efeitos das interações médico-paciente nos resultados da doença crónica. Cuidados Médicos, 27 (Suppl 3), S110-S127. Leia aqui
  • Safran, D.G., Taira, D.A., Rogers, W.H., Kosinski, M., Ware, J.E., & Tarlov, A. R. (1998). Ligando o desempenho dos cuidados primários aos resultados dos cuidados. J Fam Pract, 47(3), 213-220. Leia aqui
  • Squier, R. W. (1990). Um modelo de compreensão empática e adesão aos regimes de tratamento em relações praticante-paciente. Soc Sci Med, 30(3), 325-339. Leia aqui
  • Stewart, M., Brown, J.B., Boon, H., Galajda, J., Meredith, L., & Sangster, M. A. (1999). Provas de comunicação paciente- doutor. Prevenção e Controlo do Cancro, 3(1), 25-30. Leia aqui
  • Wagner, E.H., Glasgow, R.E., Davis, C., Bonomi, A.E., Provost, L., McCulloch, D., et al. (2001). Melhoria da qualidade nos cuidados com doenças crónicas: uma abordagem colaborativa. Jt Comm J Qual Improv, 27(2), 63-80. Leia aqui
  • Whitlock, E.P., Orleans, C.T., Pender, N., & Allan, J. (2002). Avaliação das intervenções de aconselhamento comportamental dos cuidados primários: uma abordagem baseada em evidências. Sou J Prev Med, 22(4), 267-284. Leia aqui

 

Ativação do paciente e mudança de comportamento

 

  • Intervenções comportamentais para adolescentes com diabetes tipo 1: Leia Aqui

  • A Escala de Capacitação da Diabetes: Leia aqui

  • Resumo das provas sobre o desempenho do paciente: Leia Aqui

  • O que as evidências mostram sobre a ativação do paciente, melhores resultados de saúde e experiências de cuidados: Leia aqui

  • Promover o envolvimento do paciente e a participação para uma reforma eficaz dos cuidados de saúde: Leia Aqui

  • Determinantes da ativação para auto-gestão em doentes com DPOC: Leia Aqui

  • Tomada de Decisão Participativa, Ativação do Paciente, Adesão à Medicação e Resultados Clínicos Intermédios em Diabetes Tipo 2: Um estudo STARNet: Leia aqui

  • Cuidados Centrados no Paciente: Uma ferramenta para promover a adesão à capacitação e à adesão à medicação entre pacientes indianos americanos com diabetes tipo 2: Leia aqui

  • Anderson, R., Funnell, M., Butler, P., Arnold, M., Fitzgerald, J., & Feste, C. (1995). Capacitação do paciente: Resultados de um ensaio controlado aleatório. Cuidados com diabetes, 18(7), 943-949. Leia aqui
  • Clark, N.M., & Becker, M. H. (1998). Modelos e Estratégias Teóricas para Melhorar a Adesão e a Gestão de Doenças. Em S. Shumaker, E.B. Schron, J. K. Ockene & W. L. McBee (Eds.), The Handbook of Health Behavior Change: Second Edition (Second ed., pp. 5-32). Nova Iorque: Springer Publishing Company.
  • Glasgow, R.E., Fisher, E.B., Anderson, B.J., LaGreca, A., Marrero, D., Johnson, S.B., et al. (1999). Ciência comportamental na diabetes. Contribuições e oportunidades. Cuidados com diabetes, 22(5), 832-843. Leia aqui
  • Glasgow, R.E., M. G. Goldstein, et al. (2004). “Traduzir o que aprendemos na prática: princípios e hipóteses para intervenções que abordam múltiplos comportamentos nos cuidados primários.” American Journal of Preventive Medicine 27(2suppl)): 88-101.
  • Goldstein, M.G., E. P. Whitlock, et al. (2004). “Múltiplas intervenções de fator de risco comportamental nos cuidados primários; Resumo das provas de investigação.” Sou J Prev Med 27(2 Suppl): 61-79. Leia aqui
  • Handley, M., MacGregor, K., Schillinger, D., Sharifi, C., Wong, S., & Bodenheimer, T. (2006). Usando planos de ação para ajudar os pacientes com cuidados primários a adotar comportamentos saudáveis: um estudo descritivo. J Am Board Fam Med, 19(3), 224-231. Leia aqui
  • Haynes, R.B., Taylor, D.W., & Sackett, D. L. (1979). Conformidade nos Cuidados de Saúde. Baltimore: Johns Hopkins University Press.
  • Hibbard, J.H., Mahoney, E.R., Stock, R., & Tusler, M. (2007). O aumento da ativação do paciente resulta em comportamentos de auto-gestão melhorados? Health Serv Res, 42(4), 1443-1463. Leia aqui
  • Hibbard, J.H., Mahoney, E.R., Stockard, J., & Tusler, M. (2005). Desenvolvimento e teste de uma forma curta da medida de ativação do paciente. Health Serv Res, 40(6 Pt 1), 1918-1930. Leia aqui
  • Rollnick, S., Mason, P., & Butler, C. (1999). Mudança de Comportamento de Saúde: Um Guia para Os Médicos. Edimburgo: Churchill Livingstone. Leia aqui

 

Psicoterapia e Aconselhamento

 

  • Bohart, A., & Greenberg, L. W. (1997). Empatia: Onde estamos e para onde vamos a partir daqui? Em A. Bohart & L. W. Greenberg (Eds.), a Empatia reconsiderou novas direções em Psicoterapia. Washington, D.C.: Associação Psicológica Americana. Leia aqui
  • Orlinsky, D., Grawe, K., & Parks, B. (1994) Processo e resultado em psicoterapia – noc einmal. Em A. Bergin & S Garfield (eds), Manual de Psicoterapia e Mudança de Comportamento (4ª edição, pp 270 -378) Nova Iorque:Wiley Read Here

  • Rogers, C. (1980) A Way of Being Boston:Houghton Mifflin Read Here

  • Rollnick, S., Mason P., Butler, C. (1999) Health Behaviour Change: A Guide for Practitioners, Edingburg Read Here

  • Whitlock, E.P., Orleans, C.T., Pender, N., & Allen,J. (2002) Avaliação das intervenções de aconselhamento comportamental dos cuidados primários numa abordagem baseada em evidências. Sou J Prv Med, 22 (4), 267 – 284. Leia aqui

 

Referências Gerais

 

  • Qual é a evidência sobre as políticas existentes e as atividades ligadas e a sua eficácia para melhorar a literacia em saúde a nível nacional, regional e organizacional na Região Europeia da OMS(2018) Por: Gillian Rowlands, Sian Russell, Amy O’Donnell, Eileen Kaner, Anita Trezona, Jany Rademakers, Don Nutbeam. Relatório de síntese da Rede de Evidências de Saúde 57 2018, x + 38 páginas. ISBN 978 92 890 5319 8. CHF 20. Encomenda nº 13400195: Ler aqui
  • Considerações para a investigação de tradução da diabetes em ambientes do mundo real: Leia Aqui

  • Desenvolvimento e utilização de CD roms de saúde interativa como um elogio aos cuidados primários: Leia aqui

  • Concordância, Conformidade e Adesão nos Cuidados de Saúde: Lacunas de fecho e melhoria dos resultados: Leia aqui

  • Battersby, M., Harvey, P., Mills, P.D., Kalucy, E., Pols, R.G., Frith, P.A., et al. (2007). SA HealthPlus: um ensaio controlado de uma aplicação estatal de um modelo genérico de cuidados com doenças crónicas. Milbank Q, 85(1), 37-67. Leia aqui
  • Becker, M. H. (1985). Adesão do paciente a terapias prescritas. Med Care, 23(5), 539-555.
  • Corabian, P., & Harstall, C. (2001). Educação para a diabetes no tratamento da diabetes tipo 2 adulto. Edmonton, AB, Canadá: Alberta Heritage Foundation for Medical Research.
  • Corbin, J., & Strauss, A. (1998). Trabalho e Cuidados Intermináveis: Gestão de Doenças Crónicas em Casa. Editoras Jossey-Bass. Leia aqui
  • DiMatteo, M., & DiNicola, D. (1982). Alcançar a conformidade do paciente. Elmsford, NY: Pergamon.
  • DiMatteo, M.R., Hays, R.D., Gritz, E.R., Bastani, R., Crane, L., Elashoff, R., et al. (1993). Adesão do paciente aos regimes de controlo do cancro: Desenvolvimento de escala e validação inicial. Avaliação Psicológica, 5, 102-112. Leia aqui
  • Glasgow, R.E., Fisher, L., Skaff, M., Mullan, J., & Toobert, D. J. (2007). Resolução de problemas e auto-gestão da diabetes: investigação numa grande amostra multiracial. Cuidados com diabetes, 30(1), 33-37. Leia aqui
  • Glasgow, R.E., Hiss, R.G., Anderson, R.M., Friedman, N.M., Hayward, R.A., Marrero, D.G., et al. (2001). Relatório do grupo de trabalho de prestação de cuidados de saúde: investigação comportamental relacionada com a criação de um modelo de doença crónica para os cuidados com a diabetes. Cuidados com diabetes, 24(1), 124-130. Leia aqui
  • Kinmonth, A.L., Woodcock, A., Griffin, S., Spiegal, N., & Campbell, M. J. (1998). Ensaio controlado aleatório de cuidados centrados no paciente da diabetes na prática geral: impacto no bem-estar atual e risco futuro de doença. O Tratamento da Diabetes da Equipa de Investigação de Diagnóstico. Bmj, 317(7167), 1202-1208. Leia aqui
  • Maskey, Neil: As palavras importam. BMJ;10/03/15 Ler aqui

  • Marks, R., Allegrante, J.P., & Lorig, K. (2005). Uma revisão e síntese de provas de investigação para a autoeficácia, melhorando as intervenções para a redução da incapacidade crónica: implicações para a prática da educação para a saúde (parte II). Pract Promoção da Saúde, 6(2), 148-156.
  • Meichenbaum, D., & Turk, D. (1987). Facilitar a adesão ao tratamento: Um guia de um praticante. New York: Plenum Press. Leia aqui
  • Ockene, I.S., Hebert, J.R., Ockene, J.K., Merriam, P.A., Hurley, T.G., & Saperia, G.M. (1996). Efeito da formação e uma prática de escritório estruturada em aconselhamento nutricional entregue por médico: o Ensaio worcester-Área para Aconselhamento em Hiperlipidemia (WATCH). Sou J Prev Med, 12(4), 252-258. Leia aqui
  • Ockene, I.S., Hebert, J.R., Ockene, J.K., Saperia, G.M., Stanek, E., Nicolosi, R., et al. (1999). Efeito da formação de aconselhamento nutricional entregue pelo médico e de um programa de apoio ao escritório sobre a ingestão de gordura saturada, peso e medições de lípidos de soro numa população hiperlipímica: Worcester Area Trial for Counseling in Hyperlipidemia (WATCH). Arch Intern Med, 159(7), 725-731. Leia aqui
  • Sherbourne, C.D., Hays, R.D., Ordway, L., DiMatteo, M.R., & Kravitz, R. L. (1992). Antecedentes de adesão a recomendações médicas: resultados do Estudo de Resultados Médicos. J Behav Med, 15(5), 447-468. Leia aqui
  • Wagner, E. H. (1998). Gestão da doença crónica: o que será preciso para melhorar os cuidados com a doença crónica? Eff Clin Pract, 1(1), 2-4. Leia aqui
  • Williams, G.C., Rodin, G.C., Ryan, R.M., Grolnick, W.S., & Deci, E. L. (1998). Regulação autónoma e adesão de medicamentos a longo prazo em ambulatórios adultos. Health Psychol, 17(3), 269-276. Leia aqui